Como montar uma política de uniformes para a sua empresa

Monte sua política de uniformes para sua empresa

 em Dicas

A adoção de um uniforme é de suma importância para a empresa: é através dele que se garante a segurança da empresa e é mais uma forma de mostrar sua identidade.

Construir essa imagem nunca será uma tarefa fácil, por isso os mínimos detalhes devem ser observados.

Mas só confeccionar não é o suficiente, ter uma boa política de uniformes, para reger o uso e manter um bom relacionamento entre colaborador e empresa, também é de fundamental importância.

 

Observação e análise preliminar

 

Antes de criar uma política de uniformes da sua empresa, deve ser feito uma análise detalhada de alguns pontos, para que o mesmo reflita a realidade do funcionário.  

O tipo de serviço que os colaboradores exercem é algo muito importante a ser levado em consideração, pois há serviços como a construção civil, por exemplo, que deteriora uniformes muito mais rápido do que uniformes utilizados por vendedores ou garçons.

Diante disso, um perfil dos funcionários da empresa deve ser traçado e caso haja funcionários que desempenham funções diferentes, não hesite em fazer alterações na política de uniforme da empresa.

 

Que tipo de uniforme distribuir para os funcionários?

 

Isso varia muito: principalmente por causa do serviço, do objetivo e do clima.

Em lugares onde não há muita variação de clima ou localidade, como é o caso de farmácias, lojas, hospitais e bancos, apenas um modelo de uniforme pode ser distribuído aos funcionários.

Mas em empreendimentos nos quais os funcionários estão sujeitos a intempéries, como serviços de garçons, que podem tanto trabalhar em um salão ou em um casamento ao ar livre, é recomendável ter modelos de uniformes diferentes para garantir o conforto do funcionário.

 

Quando usar a política de devolução de uniformes e quando não usar?

 

Ter uma política de devolução de uniformes é muito útil em dois aspectos: o primeiro é o fato de economizar em alguns uniformes quando há troca de pessoal, e o segundo é garantir que ex-funcionários não saiam usando o uniforme da empresa em situações que possam deteriorar a imagem da mesma.

Empresas em que o funcionário exerce função braçal e está exposto a sujeira e situações do gênero como, por exemplo, faxineiros ou homens da construção civil, os uniformes tendem a sofrer um desgaste muito grande e não há necessidade de devolução.

Já empresas voltadas a áreas como cosméticos, vendas, serviços corporativos, entre outros, tendem a ter uniformes que duram bem mais tempo, e que não sofrem tantos desgastes.

 

Devo permitir que o funcionário utilize o uniforme fora do local de trabalho?

 

Depende do tipo de uniforme.

Uniformes de serviço, como os utilizados por carteiros, seguranças etc, não deve ser utilizado fora do ambiente de trabalho, pois pode ser um risco para a imagem da empresa.

Mas camisas promocionais ou comemorativas, não há problema, pois não tem valor real. Isto é, não é oficial.

Neste momento vale por na balança qual é a opção mais viável.

 

De quem é a responsabilidade de manter o uniforme em bom estado?

 

A responsabilidade de cuidar e guardar o uniforme quando não estiver em uso é do colaborador, sendo ele é responsável também em caso de perda.

Já no caso de roubo, não há lei que determine de quem é a responsabilidade pelo novo uniforme, nesse caso o melhor a se fazer é uma análise para encontrar uma melhor solução para ambas as partes, embora seja obrigação do colaborador registrar o Boletim de Ocorrência e informar sobre o ocorrido para a empresa..

Manter a boa imagem da empresa é algo fundamental, e nesse contexto os uniformes tem grande papel, mas para que esse papel seja cumprido com eficiência,  uma boa política de uniformes deve ser elaborada pela empresa para garantir que o colaborador sempre passe a imagem desejada e evite conflitos desnecessários!

Postagens Recentes